Depois de ser mãe é assim: a gente transborda emoção!

O filho resolve demonstrar sua arte no sofá da sala, a gente sai gritando. O pequeno cochicha “eu te amo, mãe” no nosso ouvido, as lágrimas escorrem. Alguma outra criança ameaça o filhote, viramos leoas.

A verdade é que a gente vira uma manteiga derretida mesmo! Não tem jeito: a maternidade aflora emoções e deixa os sentimentos à flor da pele. Só comigo é assim?

Confere a animação abaixo que eu fiz com todo carinho como uma nova forma de apresentar a poesia sobre a vida depois de ser mãe. Um outro olhar sobre esse poema para filho.

 

Ser mãe em texto

Falei extensamente sobre as mudanças ao longo dos 4 anos do meu filho. Porque se o filho faz 4 anos, a mãe também faz. A cada novo aniversário da criança é também um novo aniversário de maternidade.

Lógico que a chegada de um filho tem seu lado caótico. Até que mãe e filho consigam conversar, a família toda leva um tempo para se adaptar, se re-conhecer. Ser mãe é se redescobrir constantemente!

Meu pequeno olha fotografias mais antigas, do tempo em que ele ainda não existia, e questiona onde ele está. Aí está uma boa pergunta! Onde estava a alegria da família? Onde estava a criança que enche nossa casa?

Não é só a mãe – a mulher – que muda com a chegada da maternidade.

A verdade é que tudo muda com um novo bebê. A vida muda completamente quando somos responsáveis por uma nova vida. Um filho muda tudo ao seu redor.

Percebe-se facilmente pela “nova” decoração da casa. Mas também é fácil identificar aquela ruguinha que não existia e o aparecimento dos cabelos brancos a mais no papai.

Quer saber? Ainda bem que a vida muda! A mudança revela o movimento, responsável pela continuidade da vida. Caso contrário, ficaríamos parados no tempo.

Às vezes leva alguns anos (como no meu caso), mas é bom quando entendemos esse amor de mãe. Crescer pode ser um pouco dolorido, mas é essencial para o nosso desenvolvimento.

poema ser mãe

 

Poema sobre ser mãe

Escrever um texto sobre a emoção da maternidade é pouco para mim. Por mais que eu já tenha escrito tantos sobre essa temática por aqui! Mas o que quero dizer é que tenho necessidade de elaborar esses sentimentos. Preciso colocar essa emoção toda para fora. E gosto de fazer isso por meio dos meus versos.

Falando nisso, já viram a série de poesias sobre o primeiro ano do bebê? Tem uma poesia para cada mês desse primeiro ano, sobre a gravidez, sobre o nascimento e algumas outras mais.

Vocês gostam de saber a história por trás das palavras? O que me motivou a escrever determinada poesia?

Pois esse poema em questão, “Eu, depois de ti” era para ser uma poesia para comemorar os 4 anos anos do meu filho. Queria escrever sobre ele, mas acabei escrevendo sobre mim. Para ele.

 

Sim, eu já escrevi anteriormente uma poesia de mãe para filho. Na verdade, uma não, algumas. Mas essa em especial fala de como meu filho me transformou.

Não tenho dúvidas de que um filho transforma completamente a vida da mãe, da família como um todo. Mas a poesia abaixo não fala do caos, do cansaço, das renúncias – isso tudo faze parte sim do pacote. Essa poesia fala de mim depois de ser mãe, uma Talita melhorada pela experiência da maternidade.

Uma pessoa mais madura, mais paciente, mais altruísta até. Meu filho me fez uma pessoa melhor. Vejo características minhas nele, mas também vejo características dele em mim!

O olhar curioso sobre todas coisas. A vontade de aproveitar ao máximo cada momento. Os momentos bobos e felizes, sem compromisso ou objetivo, o prazer pelo prazer. Sim, tem um pouco (ou muito!) dele em mim também.

emoção da maternidade

Porque depois de ser mãe, a gente fica mesmo meio misturada ao filho.

 

Ainda me sinto misturada a ele. MUITO ligada a ele. Mas ainda assim eu. Minha nova eu (lembram que já falei sobre a minha identidade mãe?).

É interessante perceber que esse processo tem seu tempo. No início a simbiose é enorme e assim como o bebê não se percebe um ser separado da mãe, também a mãe não consegue se enxergar direito sem ele.

Depois de um tempo vamos percebendo que de fato não somos mais a mesma pessoa. Passado o período de luto da mulher que fomos, descobrimos nosso novo reflexo no espelho. E então nos damos conta da beleza dessa mudança. Entendemos que a transformação aconteceu e nos tornou pessoas melhores, afinal!

É claro que me emocionei escrevendo escrevendo essa poesia. Poesia é pura emoção! São sentimentos que transbordam em forma de versos. Será que eu consigo escrever um poema sem me emocionar?

Espero que essa emoção transpareça nos versos e que vocês consigam senti-la também. Todo poeta quer que seu leitor se identifique com seus versos e suas emoções. Depois me contem, ok?

 

Eu, depois de ti

Depois de ti,
meu mundo ficou mais colorido!
Minha imagem mudou no espelho,
agucei meus sentidos.

Depois de ti,
desenvolvi muito a empatia!
Julgo bem menos as pessoas,
agradeço mais, peço desculpa, digo Bom Dia.

Depois de ti,
até me tornei tolerante!
Reconheço a beleza das pequenas coisas,
consigo respirar e esperar mais um instante.

Depois de ti, filho,
eu sou outra pessoa!
Não perco mais tempo à toa…
Uma pessoa bem diferente:
alguém melhor e muito mais sorridente.

Talita,
tua mãe.
24/05/2017
16:57
obrigada, filho!

 

Não é fácil mudar. Não é fácil identificar e aceitar que mudamos. Especialmente quando a gente já gostava de como éramos. Mas é extremamente mais fácil e feliz viver a vida depois dessa redescoberta.

depois da maternidade

Vocês conseguem identificar o que mudou depois de ser mãe?

Eu levei um tempo para entender a minha mudança. Já falei muitas vezes disso aqui no blog. Bem no comecinho da vida do Vinicius, naquele caos dos primeiros meses, tive muitos momentos em que não me entendi muito bem com a minha mãe. A verdade era que eu não me entendia. Ainda. Ponto.

Uma vez ela me disse que a maternidade tinha me deixado dura e amarga. Uma mãe falar para a sua filha que ela se tornou dura e amarga. Forte, né? Para mim, foi. E como. Vocês podem imaginar. Eu devo ter sido bem dura para ela ter me dito isso. Eu ainda não tinha entendido essa mudança. Levei um bom tempo.

Tenho certeza de que hoje ela pensa diferente (fala aí, mama!). Hoje me entendo depois de ser mãe. E me acho uma pessoa bem melhor 😉

[Reparem no comentário da minha mãe (Maria Marta) logo aqui embaixo. Sim! A minha mãe comenta meus posts e sempre me dá seu feedback sobre o blog. Ela não é o máximo?]

{Aproveitem para deixar um comentário vocês também! Eu AMO ler todos os comentários!}

 

emoção ser mãe

 

Espero que esse post pura emoção e a poesia de hoje ajudem vocês a se entenderem melhor também. Beijo no coração de todas que passam por aqui.

 

Que tal mais algumas poesias para aquecer o coração?
Por aqui tem poesia de amor para o pai: Olhos de flor e para o filho: Meu Vinicius. Tem poesia para a hora do parto: Que tenhas uma boa hora e para o resto da vida do bebê: O amor que não foi à primeira vista.

E tem uma pasta recheada de poesias maternas lá no Pinterest Só Melhora. Vale a pena dar uma olhada.

 

E outra pasta só com o texto e frases das poesias: Frases Só Melhora.

 

ser mãe poesia

 

Fotografias: Carol Dias @nozfotografia

Imagens criadas especialmente para vocês salvarem no Pinterest: Talita Rodrigues Nunes @somelhora

depois de ser mãe pinterest imagens

texto ser mãe