Vamos falar sobre o quinto mês do bebê. Sabe aquele bebê fofinho, que transmite uma paz quando olhamos, que fica horas admirando um pequeno chocalho? Eu não! O Vinicius nunca foi um bebê “quietinho”.

No primeiro mês foi aquele caos e muito choro para nos entendermos. No segundo mês, mais um tanto de choro até descobrirmos que era fome e partirmos para a complementação da amamentação. No terceiro mês, comecei a entender que ele precisava da minha presença constante. No quarto mês, ele já interagia mais com objetos, e aja brincadeiras para entretê-lo.

E no quinto mês, ele simplesmente começou a se arrastar pelo chão!

Tínhamos praticamente um menino minhoca em casa! Era muito engraçado! Ele chegava a fazer calo nos pés de tanto se arrastar. Gostou tanto da brincadeira que levou bastante tempo para efetivamente começar a engatinhar – o que só aconteceu por volta dos 10 meses.

Com o poder da locomoção, um mundo novo se abriu para o pequeno. Quem sofreu com isso foi a Loly, nossa paciente cachorrinha, que precisou fugir inúmeras vezes do serzinho inconveniente que insistia em puxar seu pelo.

Nós precisamos ficar ainda mais atentos com relação a segurança do bebê. Mas não sofremos, pelo contrário, nos divertíamos muito com as caras e bocas que o filhote fazia ao descobrir cada novo objeto que podia alcançar.

E finalmente apareceram as primeiras gargalhadas! Eu morria de inveja das mães de bebês risonhos e calminhos, que ficavam em seus carrinhos sorrindo para quem passasse. A partir do quinto mês não precisava mais invejar as crianças sorridentes – só as calminhas (!).

Quanta coisa, né? É que um mês faz muita diferença para um bebê com apenas cinco de vida! E adivinha? Tudo isso virou poesia para mim 🙂

Quinto Mês

Posso ficar horas olhando
tuas caras e bocas
E as conquistas que estou admirando
não são poucas

Brinquedos espalhados pelo chão
Um menino se arrastando
Sabe o que quer ou não
Gargalhadas com a mamãe dançando

Com o papai quer bagunçar
Com a Loly, bigodes puxar
Com as vovós quer conversar
E nós todos continuamos a te amar!

Talita
21/11/13
18:11

Essa poesia faz parte do Álbum do primeiro ano do Vinicius.

 

Interessados em ler outras que também fazem parte do álbum do primeiro ano do Vinicius?
Materna Idade é a poesia inaugural do álbum. À Espera fala do momento mais pleno da minha vida: a gestação. O Milagre é a mais acessada de todo o blog. E para saber a continuação, leia sobre O Sexto Mês do Bebê.

loading...