Que fase boa, a da infância!

Que fase boa, essa da infância! São tantas histórias para contar! Numa noite dessas, o filhote chegou esfomeado do colégio. Sim, ele come muito bem na escola. Mas vive com fome – eu não sei onde vai parar tanta comida!

O fato é que ele jantou um belo “prato de pedreiro”, comeu uma goiaba gigante de sobremesa e reclamou por não ter bolo de laranja. Encaminhei o pequeno para o banho porque já estava mais que na hora de dormir.

Como ele se diverte no banho! Por isso que digo que a infância é uma fase boa: tudo vira diversão! Meu filho ainda toma banho de banheira, apesar de já ter seus 4 anos, só para poder aproveitar a brincadeira com a água!

Tudo bem que meu banheiro vive cheio de brinquedos e eu pise, eventualmente, num dinossauro pontudo de plástico. Faz parte da brincadeira! Fico feliz em vê-lo se divertindo e aproveitando sua infância.

Passada a diversão do banho, ele voltou a lembrar da fome. Chegou a chorar quando eu disse que não era mais hora do jantar – porque sua barriga ia explodir de tanta fome! Perguntei se ele queria mais goiaba (porque se fosse apenas birra, ele pediria um chocolate).

Como a resposta foi positiva, entre uma fungada e outra, considerei que era um pedido genuíno. Se ele pede fruta deve ser porque está mesmo com fome. Eu negaria um chocolate, mas fruta não nego.

Deixei o pequeno comilão feliz da vida com seu pote de goiaba enquanto assistia um último filminho antes de dormir. Aproveitei para organizar a bagunça do banheiro e preparar o quarto dele para a noite.

Como o tempo estava meio friozinho aqui na serra, liguei o aquecedor. Como o aquecedor estava ligado, liguei o umidificador de ar. Precisa-se de um arsenal para esses pequenos alérgicos!

Conferi se toda a tropa de amigos estava a postos na cama. Meu filho dorme “apenas” com dois amigos de berço, um macaco prego e uma tartaruga! Mas dorme tranquilo a noite toda, então não reclamo! Só agradeço por ter essas histórias de infância para contar.

Finalizada a segunda goiaba gigante do dia, escovamos os dentes e deitamos na sua cama para dormir. Aqui em casa estamos numa fase de revezar quem fica com o pequeno até que ele pegue no sono. Nesse dia, era a minha vez.

Mal deitamos, ele pediu mamá. Sim, ainda tinha espaço para comida naquele serzinho! Eu perguntei se ele ainda estava com fome, mesmo depois de comer tanto. Ele respondeu em tom de desprezo que mamá não era para fome, era para sede.

Resignada com a resposta, lá fui eu preparar o leite. Ele tomou uma mamadeira cheia e pediu mais. Dessa vez já estava cansada de argumentar – meu Deus! Essa negociação não tem fim! Trouxe mais meia mamadeira.

Ele tomou tudo e pediu mais. Pronto! Aí tive certeza de que ele estava me enrolando! Mais uma vez, eu estava deixando aquele pequeno negociador me dar um nó e conseguir o que ele queria! Juntei toda a minha sapiência de adulta e mãe e argumentei, firme:

– Filho, se tu tomares mais mamá podes fazer xixi na cama de noite.

Ele se utilizou da jurisprudência existente nessa corte e retrucou:

– Mãe, eu não faço xixi na cama. Isso aconteceu só 3 vezes, há muito tempo! Quando eu ainda tinha 3 anos!

Decidi parar com os rodeios e ir direto ao ponto:

– Acho que não estás querendo mais mamá, só estás me enrolando para não dormir.

Ele, finalmente, cedeu. Ufa!

– Tá bom, mãe. Não precisa buscar mais então.

Vitória! Finalmente a negociação terminou – e eu ganhei! Ganhei? Será que exite mesmo esse negócio de ganhar e perder entre mãe e filho? Existe diálogo, troca e muito amor – disso eu tenho certeza.

Antes de fechar os olhos, o pequeno ainda demonstrou que a última palavra precisa ser dele:

– Mãe, eu vou dormir, mas é que o mamá estava tããão gostoso!

Não tive tempo de rebater. Ele fechou seus olhos e dormiu lindamente como um anjo. Não há momento no mundo mais perfeito que esse: ver seu filho dormindo tranquilamente depois de um dia vivido juntos.

Que fase boa, a da infância! Tantas descobertas, tantas experiências! Tantas histórias para contar!

E com essa história simplória de uma noite comum na minha casa, deixo minha mensagem de Dia das Crianças para vocês. Que saibamos aproveitar essa fase da infância dos nossos filhos para enriquecer nossa fase adulta.

 

infância 01

2 comentários em “Que fase boa, a da infância!

  1. Que fase boa mesmo Talita!
    Que delicia de post
    Esta fase passa muito rápida, então tem que curtir mesmo, muito
    Feliz dia das crianças por aí, querida
    Bjks mil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *