Para minhas amigas mães (poesia para a minha vila)

Hoje é dia de dizer um gradecíssimo MUITO OBRIGADA para minhas amigas mães.

Sou da opinião de que o óbvio tem que ser dito. Pois é exatamente isso que estou fazendo agora.

Minha rede de amigas que também são mães é muito especial para mim. É a elas que eu recorro quando preciso dividir uma dúvia, compartilhar minhas angústias. É a elas que eu procuro quando a culpa me domina ou o cansaço me devora. São elas que curtem comigo cada pequena vitória do meu filho e se derretem com as milhões de fotos e vídeos do pequeno.

A palavra “amigas” aqui é utilizada no mais amplo sentido! Amiga também é a minha mãe, que prepara os cupcakes do aniversário do filhote. Amiga é aquela vizinha que segura a criança momentos antes de entrar sozinha no elevador, enquanto estamos chaveando a porta do apartamento.

Também pode ser o pai do amiguinho que leva nosso filho para sua casa e o trata como seu próprio filho. Ou aquela garçonete do restaurante que traz um kit mágico de pintura para entreter o pequeno enquanto a comida não chega. Ou a professora do colégio que dá colo mesmo para um menino grande quando nós mesmas não podemos dar.

Todas essas “amigas”, sintam-se incluídas no meu obrigada para minhas amigas mães.

Vocês já devem ter ouvido aquele ditado que diz “It takes a village to raise a child” (é preciso uma vila para criar uma criança). É disso que estou falando! Uma rede de amigas-mães é fundamental no processo da maternidade/paternidade. Esse texto da Rafaela Carvalho explica bem essa questão. A lógica é bem parecida com o que eu gosto de chamar de “corrente do bem”.

para minhas amigas mães 01

É claro que é possível fazer dar certo mesmo sem ajuda. Mas a maternidade não precisa ter esse peso todo. Eu faço questão de ter a minha “vila”. Minha rede de amigas-mães faz a minha maternidade ser bem mais leve – e consequentemente mais feliz. Já falei por aqui como organizo minha vida mãe, mulher, esposa, profissional, etc: com ajuda!

A gente não precisa carregar o mundo todo nas costas. A gente não precisa dar conta de tudo. E se tivermos essas amigas por perto, tudo fica mais fácil. É nessa hora que eu digo para minhas amigas mães: MUITO OBRIGADA!

Obrigada por oferecer um biscoito do seu filho para o meu filho quando eu esqueci de pegar algo comestível para ele. Obrigada por dar conta de duas crianças (do teu e do meu filho) quando eu precisava me concentrar para finalizar um trabalho. Obrigada por limpar um bumbum alheio com tanto carinho e delicadeza.

Obrigada por me escutar falar repetidas vezes de como estou cansada e sem tempo. Obrigada por dividir comigo teus medos e culpas e não me sentir sozinha nesse mundo. Obrigada por rir das gracinhas bobas do meu filho. Obrigada.

Obrigada por repreender meu filho quando ele estava fazendo algo errado. Obrigada por trazer a sobremesa para aquele jantar aqui em casa. Obrigada por respeitar minhas escolhas mesmo quando elas são diferentes das tuas. OBRIGADA.

E é com o coração transborando gratidão que ofereço essa poesia para minhas amigas mães:

 

Para minhas amigas mães

Para que não seja esquecido,
quero deixar dito:
fui sempre muito ajudada,
fica aqui o meu “obrigada!”

Para as que foram mãe
antes de mim,
obrigada por exemplificar.
Para as que foram mãe
depois de mim,
obrigada por relembrar.

Para as que estão mais perto,
obrigada pelo ombro amigo.
Para as de longe – mas com amor certo -,
obrigada por terem me ouvido.

Quando a vida me atropelava,
obrigada por cuidar do pequeno pra mim.
Quando o cansaço me paralisava,
obrigada por cuidar simplesmente de mim.

Agradeço a Deus, em prece,
por essa rede de amigas mães
que faz a minha maternidade mais leve.

Talita
31/08/17
08:45
“It takes a village to raise a child”

 

Nem todas essas amigas mães já eram minhas amigas antes da maternidade. Algumas amizades foram feitas pelo caminho. Outras, mesmo não tendo filhos, tornam-se amigas-mães do meu próprio filho. E há aquelas amizades eternas.

Mas se, por qualquer motivo, tem alguém aí que não tem essa rede de apoio, sempre é tempo para construí-la! Procure pelo grupo de pais do colégio, encontre afinidades entre as mães dos colegas do seu filho, use e abuse da internet para descobrir grupos de mães! Só não se prive desse privilégio!

E se, assim como eu, tu tens uma aldeia para te dar suporte, não hesite: agradeça! Compartilha essa poesia com as tuas amigas! Gratidão pode ser um hábito, basta praticarmos. Vamos colocar a corrente do bem em ação!

Ah! E para minhas amigas mães que frequentam o blog (porque felizmente há várias!!!), vou repetir (não custa e me faz feliz): MUITO OBRIGADA!

para minhas amigas mães pinterest

 

Quem procura mais poesia para amigas, já sabe que vai encontrar por aqui! Poesia para aquela amiga grávida. Poesia para a amiga que está prestes a ter uma boa hora. Poesia para ressaltar que cada mãe tem a sua verdade.

Aproveitem para verbalizar sua amizade e gratidão por meio de uma poesia! As poesias aqui publicadas estão liberadas para serem compartilhadas. Só não esqueçam de mencionar a autoria, ok? (aproveita e coloca o link aqui do blog!)

Imagens: Pixabay

10 comentários em “Para minhas amigas mães (poesia para a minha vila)

    1. Empatia materna é uma expressão muito pertinente nesse contexto, Alê!
      Empatia tem tudo a ver com amizade. Colocar-se no lugar de outra mãe, outra amiga, é muito enriquecedor.
      Obrigada pela tua contribuição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *