Estamos na última semana do ano, aquele momento típico das reflexões de fim de ano. Algumas pessoas gostam de fazer uma retrospectiva mental de tudo que passou. Eu sou dessas.

Gosto de agradecer por todas as coisas boas que aconteceram durante o ano que está terminando. As vitórias, as conquistas, os desafios superados, o crescimento. Por mais que 2016 tenha sido um ano pesado para a maioria das pessoas, consigo ver coisas boas. (sou otimista por natureza)

O filhote completou 3 anos e está cada vez mais parceiro. Nossa relação melhora a cada dia. Aliás, como já disse por aqui, a vida só melhora.

Fizemos algumas viagens muito bacanas esse ano! Fomos ao parque Beto Carrero World – e nos divertimos demais! Passamos um fim de semana de mordomia num resort perto de casa e uma semana maravilhosa num resort de praia um pouco mais longe. Teve também passeio em hotel fazenda. Ah! Como eu adoro viajar!

Ainda falando das comemorações, o blog completou seu primeiro aniversário! E eu cheguei aos 35 anos. Tão bom ver essa caminhada e ter vocês caminhando junto por aqui!

 

Mas também gosto de pensar no fim de ano como o fim de um ciclo.

 

É bom que um ciclo termine para dar chance de outro novo – e melhor – chegar. É mais ou menos como as fases do desenvolvimento infantil. É preciso encerrar a fase do engatinhar para que se inicie a fase do andar.

Gosto muito da metáfora do guarda-roupa. Sabe aquela faxina que fazemos (ou deveríamos fazer) de vez em quando no nosso guarda-roupa? Penso que é uma boa ideia fazer essa faxina na nossa vida a cada fim de ano.

Precisamos tirar aquelas peças que não nos servem mais. Para que acumular coisas que não são mais úteis? Ah! E não esqueçam de reconhecer que algumas coisas foram adquiridas num impulso, mas simplesmente não se encaixaram no nosso dia a dia. Descarte essas também.

E temos que praticar o desapego. Há aquelas peças que amamos tanto que, mesmo sabendo que já estão velhinhas demais para continuarmos usando, teimamos em guardar. Sinceramente? Elas só estão ocupando espaço. Desapeguem!

Sim, é preciso um esforço. Somos grandes acumuladores. Mas tirar esse tempinho para organizar as coisas dentro da gente (e do guarda-roupa também!) gera, irremediavelmente, uma sensação muito boa!

 

Minha reflexão de fim de ano é exatamente essa: vale a pena aproveitar o momento para se organizar e abrir espaço para o novo. Tenho certeza de que muita coisa boa está por vir. Afinal, o próximo ano já está chegando!

 

Vamos juntas? Vamos fazer um 2017 melhor!