Tenho certeza de que isso não acontece só comigo: a gente promete para si mesma que vai ser mais paciente, respira fundo, conta até 10, lê sobre o desenvolvimento infantil e as birras, tenta a estratégia do urso, mas chega uma hora em que a paciência acaba! Simplesmente acaba!

Os filhos são mesmo bons em tirar os pais do sério. Ainda mais quando estão naquela fase dos testes e desafios dos limites (o tal terrible two) – leia-se: na fase atual do meu filho. Não adianta negar, uma hora a paciência acaba mesmo.

Nesses dias, eu chego no trabalho, no começo da manhã, já cansada! Isso porque já rebolei um tanto para conseguir deixar o filhote no colégio – depois de MUITA negociação com o pequeno.

É bem nesses dias que somos capazes de ultrapassar a linha e nos arrependermos de uma atitude reativa impensada. Sim, eu já dei uma palmada no meu filho num desses dias – um único episódio e não me orgulho nem um pouco disso. Morro de vergonha, na verdade. Mas estou contando para mostrar que todos somos humanos – mães e pais da vida real.

Aquela palmada certamente doeu mais em mim que nele. Quem nos segue no Instagram ficou sabendo por cima do episódio (tive muita vergonha de relatar exatamente o ocorrido). A legenda da foto ficou assim: “mãe cansada + filho cansado = chororô”.

Vou repetir algo que já disse por aqui: a arte de educar não é mesmo muito fácil.

Mas vocês não imaginam o orgulho que senti de mim mesma quando, num outro desses dias aí em que a paciência também acabou, eu consegui segurar o impulso e, em vez de levantar a mão para o meu filho, peguei uma caneta e escrevi uma poesia (depois de parar de tremer, claro!).

Olha aí o resultado:

 

2 anos e 3 meses

Tem dias que simplesmente não dá!
Daqueles de pedir ao mundo para parar
porque a vontade é de saltar.

A paciência já era
O relógio não espera
É negociação que não acaba mais
E o coração não consegue paz…

Dilemas do dia a dia
apressar ou esperar
acordar ou descansar
Tem solução para essa agonia?
Faz parte do pacote educar

Mas tem dias que é assim
2 horas para sair de casa
(ai de mim!)
e chegar no trabalho já cansada…

Talita
24/08/2015
11:00

 

Reconhecem esses dias em que a paciência acaba?

Interessados em ler outras poesias sobre o cotidiano materno? Por aqui tem poesia sobre uma fase que chamo de Fase Capacete. Tem também poesia comemorando O Décimo Segundo mês do bebê – 1 ano! E outras nem tão felizes, como a primeira virose no Nono mês do bebê.

 

loading...