Rodízio de brinquedos: já ouviu falar? É uma técnica montessoriana de revezamento de brinquedos que ajuda muito na organização quando aplicada em casa.

Não sou nenhuma especialista em Método Montessori ou Personal Organizer, mas vim compartilhar essa dica de mãe porque pode ser útil por aí também. Fazer um rodízio com brinquedos das crianças ajuda tanto na organização da casa quanto na disciplina dos pequenos.

Fazer esse revezamento com os brinquedos dos filhos é simples e fácil. Com o tempo, vai ficando mais fácil ainda – até que eles mesmos consigam fazê-lo por si próprios. Confere aí minhas dicas!

 

imagem de um menino dentro de uma caixa de brinquedos

Rodízio de brinquedos: por quê?

Meu filhote estuda numa escola montessori desde sempre e há diversas técnicas dessa metodologia que podem ser aplicadas em casa. O rodízio de brinquedos é uma dessas que funciona super bem tanto no ambiente escolar quanto no ambiente de casa.

A ideia é focar em poucos estímulos de cada vez, otimizando a concentração e incrementando o interesse da criança por determinado objeto/brinquedo. Organização é essencial para a aprendizagem e para a vida!

Vê se isso não acontece aí na tua casa: quando há muitos brinquedos disponíveis, os pequenos ficam meio perdidos. Não sabem exatamente com qual brincar, não acham aquele que queriam, nem vêem um interessante no meio desse mar de brinquedos.

Muitos brinquedos ficam totalmente esquecidos na bagunça. Ao mesmo tempo em que a criança reclama que não tem com o que brincar ou que já brincou com tudo que tinha. Algo bem semelhante com o que acontece conosco ao querer escolher uma roupa num guarda-roupas abarrotado.

Aliás, já visse minha dica de organização para as gavetas das crianças?

Além disso, é comum que os pequenos não consigam guardar essa montanha de brinquedos depois de tê-los espalhados pela casa toda. Ou seja, é um ciclo de desordem que atrapalha muito nosso dia a dia.

 

Revezamento de brinquedos em casa

Fazendo um revezamento entre os brinquedos das crianças nós as ajudamos a ter uma organização própria. A ideia é mostrar que menos é mais e que elas podem aprender a fazer melhores escolhas – inclusive na hora de brincar.

Gosto muito do que fala a metodologia montessoriana sobre o ambiente preparado para a criança. Cabe aos pais fazer uma organização prévia dos brinquedos e aos filhos manter essa organização no decorrer dos dias.

Junto com a ideia de rodízio de brinquedos trabalha-se temas como consumo consciente, valorizar o que se tem, cuidado com o que é nosso. Além, claro, da organização da casa, organização pessoal, brincar e guardar, sujar e limpar.

 

imagem de um ursinho de brinquedo

Como fazer rodízio de brinquedos em casa

Listei alguns passos simples para fazer funcionar o revezamento dos brinquedos. Todo o processo deve ser realizado em conjunto com os pequenos para que eles entendam o sistema e se comprometam com ele. Lembrando que cada família tem sua dinâmica própria e deve adaptar as dicas para sua própria realidade.

  1. Limpeza e separação dos brinquedos
  2. Observação dos brinquedos preferidos
  3. Seleção do primeiro ciclo de brinquedos
  4. Sistema de organização dos brinquedos
  5. Rodízio dos brinquedos

 

1. Limpeza e separação dos brinquedos

Antes de mais nada, é fundamental fazer aquela limpa nos brinquedos da criançada. Em conjunto com eles, separem o que estiver quebrado e precisa ser descartado, o que pode ser consertado e o que pode ser encaminhado para doação.

É bacana fazer isso com uma certa periodicidade em casa. Por aqui fazemos essa limpa duas vezes por ano: uma antes do Natal e outra antes do aniversário do filhote (que é no final de maio). São dois momentos em que ele costuma ganhar muitos brinquedos e essa limpa já abre espaço para os novos que chegarão.

 

2. Observação dos brinquedos preferidos

Essa observação já é feita no nosso dia a dia, mas às vezes está inconsciente. Aqui vale observar quais são os itens mais queridos da coleção de brinquedos. Quais os brinquedos com que os pequenos brincam com mais frequência? Quais os brinquedos que ele quer que estejam sempre disponíveis?

Alguns itens podem ficar permanentemente à disposição da criança – desde que não sejam muitos! Por aqui, alguns dinossauros, por exemplo, não entram nesse esquema de rodízio.

Para algumas crianças é difícil identificar os seus preferidos. Algumas, quando questionadas, vão dizer que todos são preferidos! Portanto, penso que esse é um passo que vai precisar de uma interferência mais direta dos pais.

 

3. Seleção do primeiro ciclo de brinquedos

Acho interessante começar com os brinquedos de maior interesse no momento da criança. No passo anterior, foram separados poucos itens permanentes, que não entrarão no revezamento. Aqui vamos selecionar os brinquedos do momento, aqueles que estão em alta na atenção dos pequenos.

Começamos o rodízio com esse itens mais brincados no momento porque os outros objetos já estão esquecidos mesmo. No dia a dia, a criança provavelmente nem vai sentir falta do que foi retirado do seu alcance.

 

4. Sistema de organização dos brinquedos

Cada família precisa identificar qual sistema funciona melhor para si. Há as que gostam de utilizar estantes com nichos, onde um brinquedo fica em cada nicho. Outras preferem caixas de plástico transparente, para visualizar bem o que há dentro.

Por aqui optamos por cestos de plástico (sem tampa) dispostos em prateleiras. Cada cesto recebe um tipo de brinquedo: um para carrinhos, um para animais, um para dinossauros, um para pequenos jogos.

O importante é que os brinquedos possam ser facilmente acessados pela criança. Prateleiras ou estantes baixas, sem nada na frente. Poucas opções de brinquedos, bem visíveis. Essa organização é fundamental tanto para a hora de pegar o brinquedo quanto para o momento de guardá-lo.

Essa organização também depende da idade da criança. Crianças menores costumam responder melhor com um brinquedo em cada nicho ou cesto. Crianças maiores funcionam bem com divisões por tipo de brinquedos (como fazemos por aqui).

Os brinquedos que não foram selecionados são guardados em caixas fechadas, em prateleiras mais altas. Para o rodízio dar certo, esse itens precisam estar fora do alcance e do olhar dos pequenos.

 

5. Rodízio dos brinquedos

Depois de um tempo, quando os brinquedos forem perdendo gradativamente o interesse, faz-se a troca pelos “brinquedos novos'”. É exatamente essa a sensação das crianças: de estarem recebendo brinquedos novos! Essa é a graça do rodízio de brinquedos!

Esse tempo de troca vai variar de acordo com cada criança, especialmente de acordo com a idade. Os pequenos precisam de trocas mais frequentes, os maiores podem ter trocas mais espaçadas.

Com o tempo, eles mesmos vão identificando quando está na hora de fazer o rodízio. Outro aprendizado que ocorre com o tempo é separar com mais facilidade os itens que pode ir para doação. É lindo de ver esse processo acontecer!

Menos brinquedos precisam ser comprados. Os brinquedos existentes são mais valorizados e melhor utilizados. A criança sabe o lugar de cada brinquedo (e pode ser cobrada para que guarde cada um no seu lugar). São muitas as vantagens de se fazer um rodízio de brinquedos!

 

imagem de um bebê segurando uma caixa de brinquedos

 

Agora me conta aqui nos comentários (ou no Instagram ou no Facebbok) se vocês já fazem esse revezamento por aí ou se gostaram da ideia. Se ficou alguma dúvida pode perguntar que eu respondo tudinho!

loading...