Lembro perfeitamente de uma coleção de livros infantis que eu tinha quando criança. Aliás, eu ficava esperando pelas datas comemorativas (Natal, Páscoa, Dia das crianças) para ganhar meus livros de presente.

E assim fui completando essa linda coleção. Eram as estórias clássicas da literatura infantil: O Patinho feio, João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, etc. Em encadernações grandes, com uma capa linda toda colorida e as ilustrações internas igualmente lindas, mas nas cores azul, cinza e amarelo.

Uma recordação muito doce da minha infância é justamente a “hora da leitura”. Aquele momento aconchegante em que meu pai ou minha mãe deitava comigo na minha cama e lia uma dessas estórias antes de eu dormir.

Não, eu nunca dormia antes da estória acabar – imagina se eu ia perder justamente o final! Mas essa lembrança ainda aquece meu coração e serve de incentivo para minhas escolhas agora, como mãe.

Agora, meu filho também tem sua “hora da leitura” – com a diferença de que tudo acontece na minha cama (e não na dele), mas isso é tema para um outro texto. Nosso combinado é que ele pode escolher duas estórias e eu leio para ele, antes de dormir.

Sim, ele também não dorme antes das estórias terminarem. E muitas vezes pede que eu repita a leitura ou ele dá sua própria versão de leitura dos livros.

imagem de diversos livros infantis

Ganhar livros de presente leva ao hábito da leitura

É incrível como o hábito realmente incorpora certas atitudes ao nosso cotidiano.

Por exemplo, quando o filhote vai dormir na casa dos avós, também pede para ouvir estórias antes de dormir. Quando chegamos cansados de alguma festa e ele dorme no carro, lembra, no dia seguinte, que não teve leitura.

Outra coisa: é bem comum escolhermos livros de presente para outras crianças.

Digo nós porque o meu filho me ajuda nessa escolha. Frequentemente vamos a alguma feira de livros para escolher livros de presente de aniversário ou Natal para as crianças da família.

E nessas ocasiões, o pequeno sempre acaba pedindo mais algum exemplar para aumentar sua biblioteca. E sempre ganha, claro! Porque nunca vou negar um pedido de livros de presente!

Hora da Leitura:

  • ganhar livros de presente é sempre bem-vindo;
  • ler um livro faz parte da rotina do sono por aqui;
  • dar livros de presente para outras crianças acaba sendo uma consequência do hábito.
frase: livros de presente ótima opção para crianças

Leia Para Uma Criança

Ah! Vou aproveitar o tema de hoje para divulgar um projeto que eu adoro: “Leia para uma criança” – #issomudaomundo. Todo ano, o Itaú Criança distribui GRATUITAMENTE uma coleção de livros para quem se cadastrar no site.

Nós pedimos e recebemos todo ano! São livros lindos e de ótima qualidade! Tanto eu quanto o filhote adoramos e eles sempre entram para a lista dos mais pedidos aqui em casa.

Vale a lembrança de que não estou ganhando nada por essa indicação, mas percebo que muitas pessoas ainda não conhecem esse projeto. E coisa boa merece ser compartilhada, certo?

E por aí? Vocês também tem a hora da leitura? Costumam dar livros de presente para crianças?

imagens de um menino lendo um livro

O gosto pelos livros também melhora

Eu sempre adorei livros. Sou daquelas que se perde numa livraria. Natural que a gente queira passar esse gosto para o filhote, né?

E aí, que desde quando ele ainda estava na barriga, eu leio para ele. Quando era bebê, ele prestava muita atenção no movimento da minha boca, na entonação da minha voz e na minha expressão facial.

Depois, veio a fase de manusear os livros (primeiro de tamanhos pequenos, depois maiores), colocar na boca, tentar passar as páginas, jogar mil vezes no chão. Até que ele começou a prestar atenção nas figuras, suas texturas, cores e formas.

Por um bom tempo – acho que mais de um ano! – tivemos um período em que o livro não parava na minha mão. Eu começava a ler a estória, mas em menos de um minuto o pequeno o tomava para manipulá-lo com suas próprias mãos. Nessa época, um livro costumava ser pouco para ele. Na “hora da estória” sempre acabávamos com quase todos os livros fora do armário e espalhados pelo chão.

Aliás, essa foi uma preocupação que tive: ter uma pequena biblioteca no quarto do filhote e deixar os livros numa altura que ele pudesse alcançá-los sempre que quisesse. Para nossa alegria, os avós, tios e amigos também ajudam na aquisição de exemplares e a Biblioteca do pequeno cresce tanto quanto ele.

menino lendo um livro no sofá

Livros diferentes para fases diferentes das crianças

Recém-saímos de uma fase deliciosa, em que primeiro eu lia a estória, mostrando as figuras e todos os seus detalhes para o pequeno, e na sequência ele “lia” o livro e dava sua versão do conto. Os livros preferidos eram “lidos”, por ele, até pelo telefone ou computador para os avós que, participativos desde sempre, acompanhavam a narração, vibrando ao final de cada apresentação!

Algumas vezes, numa tentativa de interação ainda maior com o livro, o filhote busca alguns bonecos das personagens presentes na estória para ficarem pertinho da gente e “atuarem” em algumas cenas / páginas. Outras vezes, apenas coloca os bonecos sentados para “ouvirem” juntos a contação.

Atualmente estamos num momento de incansáveis repetições das estórias. Os livros preferidos são carregados pela casa – do quarto dele para a sala, da sala para a cozinha, da cozinha para o meu quarto – e mal eu termino a narrativa (sim! Agora ele escuta a estória até o fim – na maioria das vezes), já vem o pedido: “de novo, mamãe!”. E a mamãe que quer estimular o gosto do filho pelos livros, lê a estória de novo – e de novo, e de novo.

Estão vendo só? O gosto pelos livros também melhora!

Não tenho dúvidas de que esse hábito ajuda no desenvolvimento do pequeno. Por volta de um ano e meio, o filhote já falava várias palavras. Antes dos dois anos, formava frases completas. E as professoras sempre elogiam seu vocabulário.

Não estou contando tudo isso para me gabar – apesar disso tudo me dar sim muito orgulho. Mas gostaria de ressaltar e, principalmente, incentivar o hábito da leitura. No mundo “instantâneo” em que vivemos, esse hábito vem sendo esquecido e precisamos retomá-lo.

Como anda o hábito da leitura por aí? Vocês costumam ler para os pequenos?

loading...