O Décimo Segundo Mês do bebê e o ano intenso

A percepção do tempo é realmente uma questão subjetiva. No décimo segundo mês de vida do filhote, todas as pessoas só faziam repetir: “Nossa, 1 ano! Como passou rápido!”. Eu abria aquele sorriso amarelo, mas pensava: “Não foi beeem assim…”

Já comentei por aqui que eu achei que o primeiro ano de vida do pequeno demorou séculos para passar.

Se precisasse resumir em uma única palavra esse 1º ano, eu diria: INTENSO. Foi um ano recheado de novos aprendizados. Um longo caminho até a nova família se consolidar e a nova dinâmica da casa se reestabelecer.

Não dizem que o que faz a gente ter a sensação de que o tempo passa rápido é a automatização das atividades cotidianas? Pois bem, com um bebê novo em casa, nada é muito automático. Tudo precisa ser reapreendido. Acho que é bem por isso que sentimos que esse ano demorou a passar.

Mas uma coisa não dá para negar: a transformação daquele bebê totalmente egocêntrico, que mal sabe quem ele é (muito menos quem são as pessoas que o cercam), em um menino que interage, que “conversa” – na sua língua própria, mas se faz entender – é simplesmente mágica!

Acabei registrando o passo a passo dessa mágica num scrapbook (já viram?). E pelo tanto de páginas que há nesse álbum, percebe-se que o processo todo levou algum tempo.

Foram 12 meses intensos e cansativos, sim. Mas passaram. E o que fica são as lembranças boas daqueles dias. E uma poesia, claro!

 

Décimo Segundo Mês

Doze meses um ano é
Do bebê que não interagia
Ao menino que sabe o que quer.

Um ano doze meses são
Do cansaço maior que a alegria
Ao amor imenso que não cabe no coração.

Todos dizem: que rápido passou!
Para nós não foi bem assim…
Um ano intenso começou e terminou
Nossa família aumentou com um amor que não tem fim.

Talita
13/09/14
12:05

Essa poesia faz parte do Álbum do primeiro ano do Vinicius.

 

Interessados em ler outras poesias que também fazem parte do álbum do primeiro ano do Vinicius?
Voltei a trabalhar no Sétimo Mês do bebê – e fiz uma poesia. O filhote entrou no colégio no Oitavo Mês do bebê – e fiz uma poesia. A primeira virose foi no Nono Mês do bebê – e fiz uma poesia. Na verdade, há uma poesia para cada mês do primeiro ano. A do mês anterior a esse post está aqui: Décimo Primeiro Mês do bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *